Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente... e não a gente a ele!


um-bom-poema-é-aquele-nos-dá-a-impressão-de-á-lendo-a-gente-e-não-a-gente-a-ele
mário quintanaumbompoemaaquelenosdimpressãodeestlendogentenãogenteeleum bombom poemapoema éé aqueleaquele queque nosnos dáimpressão dede queestá lendogente ee nãoum bom poemabom poema époema é aqueleé aquele queaquele que nosque nos dádá a impressãoa impressão deimpressão de quede que estáque está lendolendo a gentea gente egente e nãonão a gentegente a eleum bom poema ébom poema é aquelepoema é aquele queé aquele que nosaquele que nos dános dá a impressãodá a impressão dea impressão de queimpressão de que estáde que está lendoestá lendo a gentelendo a gente ea gente e nãoe não a gentea gente a eleum bom poema é aquelebom poema é aquele quepoema é aquele que nosé aquele que nos dáque nos dá a impressãonos dá a impressão dedá a impressão de quea impressão de que estáimpressão de que está lendoque está lendo a genteestá lendo a gente elendo a gente e nãogente e não a gentenão a gente a ele

Tem gente que sente o que a gente sente e passa isto docemente. Tem gente que vive como a gente vive, tem gente que fala e nos olha na face, tem gente que cala e nos faz olhar. Toda essa gente que convive com a gente, leva da gente o que a gente teme passa a ser gente dentro da gente. Um pedaço da gente em outro alguém.Meta, a gente busca. Caminho, a gente acha. Desafio, a gente enfrenta. Vida, a gente inventa. Saudade, a gente mata. Sonho, a gente realiza.ãdolo é aquele que faz a gente parar e prestar atenção, e até quando ele erra, a gente quer acertar por ele.O que a gente gosta, a gente guarda. Quem ama a gente, a gente cuida. E pro resto a gente mostra a língua.E a gente canta, a gente dança, a gente não se cansa de ser criança; a gente brinca na nossa velha infãnciaE a gente canta, a gente dança , a gente não se cansa de ser criança; a gente brinca na nossa velha infância