Se escrevo alguma coisa, temo que ela aconteça, se amo demais alguma pessoa, tenho medo de perdê-la; no entanto, não posso deixar de escrever, nem de amar


se-escrevo-alguma-coisa-temo-ela-aconte-se-amo-demais-alguma-pessoa-tenho-medo-de-perdê-no-entanto-não-posso-deixar-de-escrever-nem-de-amar
isabel allendeseescrevoalgumacoisatemoelaaconteaseamodemaispessoatenhomedodeperdêlanoentantonãopossodeixarescrevernemamarse escrevoescrevo algumaalguma coisatemo queque elaela aconteçase amoamo demaisdemais algumaalguma pessoatenho medomedo deno entantonão possoposso deixardeixar dede escrevernem dede amarse escrevo algumaescrevo alguma coisatemo que elaque ela aconteçase amo demaisamo demais algumademais alguma pessoatenho medo denão posso deixarposso deixar dedeixar de escrevernem de amar

Sempre me restará amar. Escrever é alguma coisa extremamente forte mas que pode me trair e me abandonar: posso um dia sentir que já escrevi o que é o meu lote neste mundo e que eu devo aprender também a parar. Em escrever eu não tenho nenhuma garantia. Ao passo que amar eu posso até à hora de morrer. Amar não acaba. É como se o mundo estivesse à minha espera. E eu vou ao encontro do que me espera.O amor é preocupação. Ter o coração já previamente ocupado. Ter medo que alguma coisa de mal aconteça à pessoa amada. Sofrer mais por não poder aliviar o sofrimento da pessoa amada do que ela própria...O amor é preocupação. Ter o coração já previamente ocupado. Ter medo que alguma coisa de mal aconteça à pessoa amada. Sofrer mais por não poder aliviar o sofrimento da pessoa amada do que ela própria sofre.Lembre-se que todos que encontrar tem medo de alguma coisa, ama alguma coisa, e perdeu alguma coisa.Eu não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Se todos nós fizéssemos alguma coisa, poderíamos conquistar qualquer coisa.Quando digo alguma coisa, isso perde imediatamente e totalmente a importância, quando escrevo, também a perde, mas por vezes ganha uma nova importância.