Quando tiramos a vida aos homens, não sabemos, nem o que lhes tiramos, nem o que lhes damos.


quando-tiramos-a-vida-aos-homens-não-sabemos-nem-o-lhes-tiramos-nem-o-lhes-damos
george gordon byronquandotiramosvidaaoshomensnãosabemosnemlhestiramosdamosquando tiramosvida aosaos homensnão sabemosnem oque lheslhes tiramosnem oque lheslhes damostiramos a vidaa vida aosvida aos homensnem o queo que lhesque lhes tiramosnem o queo que lhesque lhes damosquando tiramos a vidatiramos a vida aosa vida aos homensnem o que lheso que lhes tiramosnem o que lheso que lhes damosquando tiramos a vida aostiramos a vida aos homensnem o que lhes tiramosnem o que lhes damos

Sua prioridade não parecem estar a ensinar-lhes o que sabia, mas sim para mostrar-lhes que nada, nem mesmo... conhecimento, era infalível.Aos olhos do invejoso, ainda não podendo olhar direitos, nada lhes escapa, nem do bem nem do mal da pessoa alvejada: do bem para detraírem, do mal para se alegrarem.Quando o amor excede, não traz aos homens nem honra nem virtude.O jogo é uma analogia para a vida: não existem cadeiras suficientes ou bons tempos para andar por aí, nem comida suficiente, nem divertimento suficiente, nem camas nem empregos nem risos nem amigos nem sorrisos nem dinheiro nem ar limpo para respirar... e no entanto a música continua.Onde os homens se persuadem que os governos os devem fazer felizes, e não eles a si próprios, não há governo que os possa contentar nem agradar-lhes.A força que tiramos do rancor e da irritação é apenas fraqueza.