O que há de mais belo na nossa vida é o sentimento do mistério. É este o sentimento fundamental que se detém junto ao berço da verdadeira arte e da ciência.


o-há-de-belo-na-nossa-vida-é-o-sentimento-do-mistério-É-este-o-sentimento-fundamental-se-detém-junto-ao-berço-da-verdadeira-arte-e-da
albert einsteinhdebelonanossavidasentimentodomistérioestefundamentalsedetémjuntoaoberodaverdadeiraarteciênciahá dede maismais belobelo nana nossanossa vidavida éo sentimentosentimento dodo mistérioÉ esteeste oo sentimentosentimento fundamentalfundamental queque sese detémdetém juntojunto aoao berçoberço dada verdadeiraverdadeira artearte ee dada ciênciaque há dehá de maisde mais belomais belo nabelo na nossana nossa vidanossa vida évida é oé o sentimentoo sentimento dosentimento do mistérioÉ este oeste o sentimentoo sentimento fundamentalsentimento fundamental quefundamental que seque se detémse detém juntodetém junto aojunto ao berçoao berço daberço da verdadeirada verdadeira arteverdadeira arte earte e dae da ciência

A arte não é senão sentimento. Mas sem a ciência dos volumes, das proporçãµes, das cores, sem a destreza da mão, o sentimento mais vivo paralisa-se.A coisa mais bela que podemos experimentar é o mistério. É a fonte de toda verdadeira arte e ciência.A posse do conhecimento não matar o sentimento de admiração e mistério. Há sempre mais mistério.As mulheres têm o sentimento da moda, mas não têm o sentimento do belo.Se tivéssemos uma verdadeira vida não teríamos necessidade de arte. A arte começa precisamente onde cessa a vida real, onde não há mais nada à nossa frente. Será que a arte não é mais do que uma confissão da nossa impotência?A verdadeira arte não é só a expressão de um sentimento, mas também o resultado de uma inteligência viva.