Eu presto mais respeito a quem escreve um livro, qualquer que ele seja, do que a quem de repente se julga importante por não fazer absolutamente nada.


eu-presto-respeito-a-quem-escreve-um-livro-qualquer-ele-seja-do-a-quem-de-repente-se-julga-importante-por-não-fazer-absolutamente-nada
joel netoprestorespeitoquemescreveumlivroqualquerelesejadoderepentesejulgaimportantepornãofazerabsolutamentenadaeu prestopresto maismais respeitoquem escreveescreve umum livroqualquer queque eleele sejado quequem dede repenterepente sese julgajulga importanteimportante pornão fazerfazer absolutamenteabsolutamente nadaeu presto maispresto mais respeitorespeito a quema quem escrevequem escreve umescreve um livroqualquer que eleque ele sejaque a quema quem dequem de repentede repente serepente se julgase julga importantejulga importante porimportante por nãopor não fazernão fazer absolutamentefazer absolutamente nada

De todos os ressentimentos, creio que o maior seja aquele de um homem que saiba fazer a sua arte com perfeição e seja censurado e avaliado por quem não sabe absolutamente nada.A competência é génio. A única, e verdadeira, forma de génio. Mais do que quem escreve um livro ou pinta um quadro: o competente que resolve problemas e facilita a vida de quem, sem ele, iria martirizar-se até à demência pela sua incapacidade é um génio. Um autêntico Da Vinci dos tempos modernos.Bem se engana quem julga encontrar em si o bastante para dispensar os outros; e ainda mais quem pensar que os outros não podem passar sem ele.Quem tem muito dinheiro, por mais inepto que seja, tem talentos e préstimo para tudo; quem o não tem, por mais talentos que tenha, não presta para nada.Ninguém é manipulado ou subjugado quando acredita fortemente naquilo que sente, pelo contrário quem não se permite sentir, ou seja, quem não se permite viver nada sabe, nada conhece e em nada acredita, logo é jogado de pé para pé pelos mais espertos e perigosos egos.Quem é alegre tem sempre razão de sê-lo, ou seja, justamente esta, a de ser alegre. Nada pode substituir tão perfeitamente qualquer outro bem quanto essa qualidade, enquanto ela mesma não é substituível por nada.