Eis o castigo mais terrível de um culpado: nunca ser absolvido do tribunal de sua consciência


eis-o-castigo-terrível-de-um-culpado-nunca-ser-absolvido-do-tribunal-de-sua-consciência
juvenaleiscastigoterríveldeumculpadonuncaserabsolvidodotribunalsuaconsciênciaeis oo castigocastigo maismais terrívelterrível dede umum culpadonunca serser absolvidoabsolvido dodo tribunaltribunal dede suasua consciênciaeis o castigoo castigo maiscastigo mais terrívelmais terrível deterrível de umde um culpadonunca ser absolvidoser absolvido doabsolvido do tribunaldo tribunal detribunal de suade sua consciênciaeis o castigo maiso castigo mais terrívelcastigo mais terrível demais terrível de umterrível de um culpadonunca ser absolvido doser absolvido do tribunalabsolvido do tribunal dedo tribunal de suatribunal de sua consciênciaeis o castigo mais terrívelo castigo mais terrível decastigo mais terrível de ummais terrível de um culpadonunca ser absolvido do tribunalser absolvido do tribunal deabsolvido do tribunal de suado tribunal de sua consciência

Nenhum culpado pode ser absolvido pelo tribunal da própria consciência.A morte é terrível, porém mais terrível ainda seria ter a consciência de viver eternamente e de nunca poder morrer.O juiz é condenado onde o culpado é absolvido.O culpado tem por acusador a sua consciênciaO indivíduo, na sua angústia de não ser culpado mas de passar por sê-lo, torna-se culpado.O primeiro castigo do criminoso é o da própria consciência, que o julga e que nunca o absolve.