Atenção. Já o devo ter dito, mas não há mal em repetir: O «estilo» não é da ordem do enfeite mas da operacionalidade.


atenção-já-o-devo-ter-dito-mas-não-há-mal-em-repetir-o-estilo-não-é-da-ordem-do-enfeite-mas-da-operacionalidade
vergílio ferreiraatenãojdevoterditomasnãohmalemrepetirestilodaordemdoenfeiteoperacionalidadeo devodevo terter ditomas nãonão háhá malmal emem repetiro «estilo»«estilo» nãonão éé daordem dodo enfeiteenfeite masmas dada operacionalidadejá o devoo devo terdevo ter ditomas não hánão há malhá mal emmal em repetiro «estilo» não«estilo» não énão é daé da ordemda ordem doordem do enfeitedo enfeite masenfeite mas damas da operacionalidadejá o devo tero devo ter ditomas não há malnão há mal emhá mal em repetiro «estilo» não é«estilo» não é danão é da ordemé da ordem doda ordem do enfeiteordem do enfeite masdo enfeite mas daenfeite mas da operacionalidadejá o devo ter ditomas não há mal emnão há mal em repetiro «estilo» não é da«estilo» não é da ordemnão é da ordem doé da ordem do enfeiteda ordem do enfeite masordem do enfeite mas dado enfeite mas da operacionalidade

Já deve ter sido dito mas não há mal em repetir: o livro banal é o que perde à segunda leitura; o bom livro é o que ganha.Mal é dizer mal, mas depois de o haverdes dito, dizerdes ainda que dizeis bem, é um mal maior sobre outro mal, porque é estar obstinado nele.Afinal, ele é o estilo só de que a posteridade irá julgar de uma grande obra, para um autor pode ter nada verdadeiramente seu próprio mas seu estiloA história deve ter um começo, um meio e um fim, mas não necessariamente nessa ordem.Revolução não é a revolta contra a ordem pré-existente, mas a criação de uma nova ordem contraditória ao tradicionalA revolução não é a sublevação contra a ordem preexistente, mas a implantação de uma nova ordem que vira a tradicional pelo avesso.