A grandeza de uma obra de arte está fundamentalmente no seu caráter ambíguo, que deixa ao espectador decidir sobre o seu significado.


a-grandeza-de-uma-obra-de-arte-á-fundamentalmente-no-seu-áter-ambíguo-deixa-ao-espectador-decidir-sobre-o-seu-significado
theodore adornograndezadeumaobraarteestfundamentalmentenoseucarterambíguodeixaaoespectadordecidirsobresignificadograndeza dede umauma obraobra dede artearte estáestá fundamentalmentefundamentalmente nono seuseu carátercaráter ambíguoque deixadeixa aoao espectadordecidir sobresobre oo seuseu significadoa grandeza degrandeza de umade uma obrauma obra deobra de artede arte estáarte está fundamentalmenteestá fundamentalmente nofundamentalmente no seuno seu caráterseu caráter ambíguoque deixa aodeixa ao espectadorao espectador decidirespectador decidir sobredecidir sobre osobre o seuo seu significadoa grandeza de umagrandeza de uma obrade uma obra deuma obra de arteobra de arte estáde arte está fundamentalmentearte está fundamentalmente noestá fundamentalmente no seufundamentalmente no seu caráterno seu caráter ambíguoque deixa ao espectadordeixa ao espectador decidirao espectador decidir sobreespectador decidir sobre odecidir sobre o seusobre o seu significadoa grandeza de uma obragrandeza de uma obra dede uma obra de arteuma obra de arte estáobra de arte está fundamentalmentede arte está fundamentalmente noarte está fundamentalmente no seuestá fundamentalmente no seu caráterfundamentalmente no seu caráter ambíguoque deixa ao espectador decidirdeixa ao espectador decidir sobreao espectador decidir sobre oespectador decidir sobre o seudecidir sobre o seu significado

A obra de arte deve dominar o espectador. O espectador não deve dominar a obra de arte. -Oscar Fingall O'Flahertie Wills Wilde
a-obra-de-arte-deve-dominar-o-espectador-o-espectador-não-deve-dominar-a-obra-de-arte
Quando a cortina é levantada, o ator deixa de pertencer a si próprio. Ele pertence ao seu caráter, ao seu autor, ao seu público. -Sarah Bernhardt
quando-a-cortina-é-levantada-o-ator-deixa-de-pertencer-a-próprio-ele-pertence-ao-seu-áter-ao-seu-autor-ao-seu-público
Não tem um chip em seu ombro ou o chip vai manchar para sempre em sua mente até que você decidir sobre o seu próprio para deixá-lo ir. -Austin VanPelt
não-tem-um-chip-em-seu-ombro-o-chip-vai-manchar-para-sempre-em-sua-mente-até-você-decidir-sobre-o-seu-próprio-para-deixá-lo-ir
A obra de arte pressupõe a existência do espectador perfeito, e é indiferente ao fato de que tal pessoa não existe.
a-obra-de-arte-pressupõe-a-existência-do-espectador-perfeito-e-é-indiferente-ao-fato-de-tal-pessoa-não-existe
Toda a surpresa deixa de o ser quando integrada nos nossos hábitos. E é por isso que uma obra de arte do passado nos deixa quase indiferentes. -Vergílio Ferreira
toda-a-surpresa-deixa-de-o-ser-quando-integrada-nos-nossos-hábitos-e-é-por-isso-uma-obra-de-arte-do-passado-nos-deixa-quase-indiferentes
Qualquer autêntica obra de arte deve começar uma discussão entre o artista e seu público.
qualquer-autêntica-obra-de-arte-deve-começar-uma-discussão-entre-o-artista-e-seu-público